Ácido Hialurônico é opção para tratar lesões condrais

É grande o número de pessoas que sofre com as lesões condrais, principalmente na região do joelho. Ortopedista especialista na área, Dr. Marcus Vinícius Danieli aponta que, de acordo com estudos, 1/3 dos pacientes com problemas de joelho têm lesões de cartilagem. Uma vez perdida, a cartilagem não é produzida novamente pelo organismo. Mas há formas de retardar a evolução da doença e amenizar os sintomas, em especial a dor.

 “A primeira coisa a se fazer dentro dos tratamentos não cirúrgicos é a mudança de hábitos de vida, com redução de peso corporal, prática de atividades físicas de baixo impacto e trabalho de fortalecimento muscular. Somado a isso, a fisioterapia tem papel importante no tratamento para controle de sintomas, retirada da crise de dor e início do trabalho de reequilíbrio muscular. Existem também as medicações analgésicas e anti-inflamatórias, usadas para controle de sintomas esporadicamente”, explica Dr. Marcus Vinícius. 

Além desse tratamento convencional, há novidades recentes para tratar as lesões condrais. Elas incluem medicamentos modificadores da doença, como glicosamina e condroitina, diascereina e, mais recentemente, os peptídeos de colágeno. “Essas são medicações para uso contínuo, mas ainda com falta de embasamento científico forte para recomendar seu uso em todos os pacientes”, antecipa o ortopedista.

A viscossuplementação, ou aplicação intra-articular de Hialuronato, é outro tratamento novo indicado para pacientes com lesões condrais, mais estudado para uso na articulação do joelho. “O ácido hialurônico intra-articular já tem o efeito comprovado de diminuir perda de volume condral e de preservação de cartilagem. Também melhora a integridade condral e diminui a formação de osteófitos (mostrando uma desaceleração da evolução para artrose). Esses efeitos também podem ser demonstrados em exames de ressonância nuclear magnética, onde pode ocorrer até a mudança de sinal da cartilagem, para melhor, após o uso da medicação”, ressalta o especialista em joelho. 

Somado a esses benefícios, há ainda melhora na dor pelo efeito anti-inflamatório e melhora da qualidade do liquido sinovial. “Por isso, a infiltração com ácido hialurônico já é indicada até em lesões iniciais, pois é um método seguro, persistente e efetivo. Hoje também há indicação até para artrose mais avançada, pois pode não melhorar significativamente, nestes casos, a função articular, mas tem efeito na redução de dor e, consequente, na melhora da qualidade de vida”, destaca Dr. Marcus Vinícius. 

Ele ressalta que do ponto de vista econômico é cada vez maior o número de trabalhos demonstrando que, se incorporada ao tratamento da osteoartrose de joelhos, a viscossuplementação pode apresentar boa relação custo-efetividade, sendo inclusive capaz de retardar a realização de uma prótese total de joelho. “Não se deve aguardar a falha de outras opções de tratamento para se pensar em viscossuplementação, pois sabe-se que os pacientes que mais se beneficiarão com este tratamento são aqueles cuja doença é inicial (menor grau de osteoartrose) e que utilizam mais ativamente as articulações”, orienta. 

O especialista faz uma ressalva que o uso dessas terapias novas precisa ser individualizado, ou seja, feito caso a caso para melhor efetividade. “O uso deste tratamento deve fazer parte do arsenal do médico que trata pacientes com lesões condrais, desde as leves até a osteoartrose. Essa patologia é de difícil tratamento, traz um grande prejuízo a qualidade de vida do paciente, e deve ser atacada com todo arsenal terapêutico disponível, até na tentativa de se evitar procedimentos mais agressivos e dispendiosos como, por exemplo, as cirurgias”, conclui.