Acidentes com crianças podem ser evitados!

Levantar a criança do chão puxando pelas mãos, fazer a brincadeira de girá-la em torno do próprio corpo segurando pelas mãos, permitir que uma criança carregue um bebê. Essas cenas, infelizmente comuns, são capazes de provocar muitos problemas nos pequenos. Com articulações ainda frágeis, punhos e cotovelos são vítimas da falta de informação. O alerta vem da ortopedista pediátrica Adriana Pazin, da Uniorte.

De acordo com ela, sem saber, pais e familiares podem provocar dores e problemas nas crianças. “Recebemos no consultório lesões que são fruto do desconhecimento dos adultos. Até os 4 anos de idade, o cotovelo da criança não está bem formado e apresenta muita frouxidão ligamentar, por isso pedimos para que os pais que não levantem as crianças do chão puxando pelas mãos. O indicado é pegar embaixo dos braços, na região das axilas. Puxar pelas mãos pode provocar a pronação dolorosa, um problema na articulação do cotovelo”, orienta.

Mãos e braços acabam sendo as regiões mais atingidas até mesmo em quem tem meses de vida. “Outra dica importante é que quando a criança começa a dar os primeiros passos precisamos segurá-la pelas duas mãos, e não uma. Isso porque se ela se desequilibrar e cair, teremos segurança para evitar a queda. Segurando apenas por uma das mãos podemos provocar uma rotação do cotovelo ou sobrecarregar a articulação do punho. O bebê cai e o braço fica suspenso, preso à mão do adulto”, descreve a especialista. Nessa mesma linha, convém evitar a brincadeira de girar a criança segurando pelas mãos.

Outro acidente comum é prender o dedo na porta. Logo que aprende a andar, a criança quer explorar todos os ambientes e acaba por colocar a mão em lugares perigosos, como o vão das portas. “O resultado pode ser grave, com esmagamento dos dedinhos. É importante usar protetores nas portas. Esse acidente pode ser evitado”, salienta Dra. Adriana.

Todo a atenção e cuidado são essenciais. As crianças pequenas – e os bebês – não têm malícia para saber onde está o perigo. “Com os bebês o cuidado deve ser ainda maior. Eles são mais molinhos, é preciso cuidar da cabeça, da coluna. Quando uma criança quer pegar no colo, orientamos que isso seja feito com a supervisão do adulto e com a criança sentada. Mesmo que pequenos, os bebês são pesados para os frágeis braços das outras crianças”, completa.

O segredo é tentar sempre se antecipar para o que pode acontecer. “Sabemos que crianças muitas vezes são imprevisíveis, mas cabe aos adultos estar atentos para evitar acidentes que podem levar a fraturas e rupturas de ligamentos”, finaliza Dra. Adriana Pazin.