Notícias

04/02/2020Síndrome do Piriforme

Esta patologia que acomete o quadril não é tão comum. Ela aparece devido à compressão do nervo ciático que passa entre os músculos rotadores externos do quadril e um deles é o piriforme, gerando um processo inflamatório no local; é esta inflamação que leva o nome de síndrome do piriforme. “O piriforme é um músculo que se localiza na região do quadril. O paciente, em geral, se queixa de dor que começa no glúteo e se irradia pela parte de trás da perna, atingindo as coxas, pernas e pés. Há casos em que o paciente também relata dor na região lombar”, explica Dr. Walter Taki, ortopedista especialista em quadril.

De acordo com ele, treinos intensos de musculação, em especial para a região dos glúteos, e corrida podem elevar as chances de ter a síndrome do piriforme. “Ciclistas, pessoas que passam muito tempo sentadas ou que tem alterações anatômicas que fazem com que o nervo ciático passe pelo meio do músculo piriforme também ficam mais susceptíveis a esta inflamação”, acrescenta.

O tratamento inclui uso de medicações específicas, uso de gelo ou calor (varia caso a caso) e descanso das atividades físicas. “Além disso, podemos fazer uso da toxina botulínica para aliviar os espasmos musculares na região, fisioterapia, indicar corticosteroides ou injeções anestésicas e infiltrações de ponto de gatilho. A cirurgia é rara, indicada apenas como último recurso”, destaca.

Manter a musculatura alongada e fortalecida ajuda a evitar novos quadros da doença.

Convênios