Notícias

30/04/2020Fratura da clavícula

Quedas, traumas decorrentes de atividade física e acidentes automobilísticos estão entre as causas da fratura da clavícula. Elas representam cerca de 4% de todas as fraturas e podem ter tratamento conservador ou cirúrgico.

Dr. Diogo Bader, especialista em cirurgia do ombro e cotovelo, destaca que a clavícula é um osso em formato de S que liga nosso braço ao tronco e é fundamental para o movimento do ombro. Quando há fratura, é preciso tratar. “Dor e limitação do movimento do ombro são os principais sintomas desta fratura, seguido por edema e hematoma na região”, completa.

O tratamento pode variar. “Em geral, quando em crianças, o tratamento é conservador com uso de órtese, como uma tipoia, pois não é possível engessar o local. Medicamentos e fisioterapia também são prescritos. Já nos adultos, a conduta pode ser conservadora ou cirúrgica. Quando o osso se quebra em vários fragmentos ou compromete os tecidos moles na região, a indicação é de tratamento cirúrgico, onde fazemos a redução da fratura e fixamos a clavícula com placa de titânio ou aço cirúrgico e parafusos”, pontua.

Logo após a cirurgia, é preciso uso de tipoia para repouso apenas por um curto período de tempo, sendo então possível uma reabilitação mais precoce com o auxílio da fisioterapia. “A palavra mais importante em todo o tratamento de fratura da clavícula, seja conservador ou cirúrgico, é paciência para a completa recuperação”, finaliza Dr. Diogo Bader.

Convênios