Notícias

06/08/2018Artroscopia trata lesões da articulação

Dr Daniel Vieira
Dr Daniel Vieira

A evolução da medicina dá passos largos a cada década. Até pouco tempo, a grande maioria das cirurgias era feita de forma tradicional, “aberta” como é popularmente conhecida, realizada por meio de grandes incisões na pele. Atualmente, a grande maioria dos procedimentos pode ser feita por vídeo e uso de instrumentos específicos, implantes especiais e materiais miniaturizados. Por pequenos furos, chamados portais, tudo acontece.

 

Na ortopedia, a artroscopia veio para tratar lesões principalmente nas articulações. “Esta técnica nasceu para uso em grandes articulações, como joelhos e ombros. Atualmente, praticamente todas as articulações podem ser tratas dessa forma, incluindo punho, quadril, cotovelo, coluna e tornozelo”, cita Dr. Marcus Vinícius Danieli.

 

Especialista em joelho, ele realizada artroscopia em várias situações, como para tratar de lesões de menisco, de cartilagem e ligamentos rompidos. “A artroscopia permite corrigir lesões nas articulações de forma minimamente invasiva. Com a ajuda de uma micro câmera, que é introduzida por um furo na pele, visualizamos a articulação. Outras pequenas incisões são feitas para a entrada dos instrumentos que serão necessários para o procedimento e tudo é feito com o auxílio do vídeo”, descreve.

 

Para o paciente, as vantagens são muitas como recuperação mais rápida, menor risco de infecções e menos tempo de internação. “Hoje a artroscopia pode ser escolhida para tratar quase tudo o que se fazia antes com a cirurgia aberta convencional. Reconstruímos ligamentos, suturamos tendões, podemos fazer uma limpeza da articulação, retirando corpos estranhos que possam estar prejudicando o organismo, tudo de forma mais rápida e menos agressiva para o paciente”, completa Dr. Marcus Vinícius.

 

Especialista em ombro, Dr. Daniel Vieira destaca que a cirurgia por artroscopia é hoje sua primeira opção de escolha. “Por meio dessa técnica tratamos casos de luxação recidivante no ombro, lesões dos tendões do manguito rotador, capsulite adesiva e tendinites as quais não responderam ao tratamento conservador. A medicina evoluiu para esse lado, oferecendo ferramentas cada vez mais específicas para a realização de procedimentos minimamente invasivos”, destaca.

 

Ele completa que lesões de cotovelo, como epicondilite lateral, também são tratadas por artroscopia. “Hoje o tratamento na área da ortopedia se divide em tratamento conservador, com uso de medicamentos e fisioterapia, infiltrações em alguns casos e, quando necessitamos de intervenção cirúrgica, a artroscopia entra em cena”, destaca.

 

A artroscopia melhora ainda a visibilidade da articulação, com o cirurgião conseguindo ver as estruturas de dentro dela de forma precisa. Por isso, ela pode também ser usada para diagnóstico. “É mais raro que isso aconteça, mas quando não é possível um diagnóstico preciso com exame físico e exames de imagem, a artroscopia pode auxiliar nesse processo de diagnóstico”, finaliza Dr. Marcus.

Galeria de Imagens

Convênios